Quebrada Sustentável: permaculturando a zona leste de São Paulo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Já dizia Paulo Freire que “educar-se é impregnar de sentido cada momento da vida, cada ato cotidiano”. Pois na semana passada tive a alegria de conhecer um projeto socioambiental que vem impregnando de sentido o dia a dia de muitas crianças e jovens da União de Vila Nova, em São Miguel Paulista, na zona leste de São Paulo (SP). O nome não poderia ser melhor: Quebrada Sustentável.

A ideia de visitar o projeto partiu do convite de um grande amigo de estrada, o Vini, que conheci na Chapada dos Veadeiros (GO), em uma das vivências da Caravana da Luz, no assentamento Silvio Rodrigues. Hoje coordenador pedagógico do Instituto Nova União da Arte (NUA), o Vini não só me apresentou o Quebrada Sustentável, como os outros projetos que o instituto desenvolve no bairro, também conhecido como Jardim Pantanal. E te digo: foi uma visita incrível!

Viveiro Escola, onde acontece grande parte das atividades do Quebrada Sustentável
Viveiro Escola, onde acontece grande parte das atividades do Quebrada Sustentável

quebrada-sustentavel-04

Com atividades no período da manhã e da tarde (no contra-turno escolar), às segundas, quartas e sextas, a ideia do Quebrada é promover uma formação continuada de facilitadores ambientais.

É despertar, nas crianças e nos jovens, um olhar mais sensível e lúdico sobre a natureza e seus processos, na busca por uma quebrada mais sustentável.

Para tal, estimula conversas participativas em roda, oficinas de variados temas, como agroecologia urbana, sementeiras, canteiros de hortas medicinais, compostagem doméstica, tintas naturais, reaproveitamento de materiais, ecoturismo, práticas de cartografia do bairro… Isso tudo regado a muitas brincadeiras, claro, além de intervenções artísticas e paisagísticas na comunidade.

Grande Vini, na função da compostagem dos orgânicos
Grande Vini, na função da compostagem dos orgânicos
Diego Malagode, educador do Quebrada Sustentável
Diego, educador do Quebrada Sustentável
Oficina de macramê com a Larissa Amorosa, uma das educadoras do Quebrada Sustentável
Oficina de macramê com a Larissa, também educadora do projeto

As atividades acontecem principalmente no Viveiro Escola do bairro (Rua Papiro do Egito, 101), o qual foi construído pela CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), como resposta a uma demanda da comunidade, durante o processo de urbanização da área. É um local de convivência comunitária, onde são realizados eventos socioambientais, mutirões, além de reuniões semanais com lideranças comunitárias para o fortalecimento e desenvolvimento de vínculos sociais. Com isso, juntos, eles planejam o desenvolvimento sustentável local e a co-gestão do espaço.

E assim, do micro ao macro, essas crianças, jovens e adultos vão atuando, de forma consciente e crítica, no processo de recuperação e preservação do bairro. Mais que isso, vão resgatando um sentimento de pertencimento à comunidade.

É só caminhar pelo Viveiro Escola e alguns frutos de seis meses de trabalho já aparecem: tem canteiro de milhos crioulos, ervas medicinais, temperos diversos...
É só caminhar pelo Viveiro Escola e alguns frutos de seis meses de trabalho já aparecem: tem canteiro de milhos crioulos, ervas medicinais, temperos diversos…
Só alegria na produção de mudas no Viveiro
Só alegria na produção de mudas no Viveiro
Canteiro de ervas medicinais
Canteiro de ervas medicinais

E se você sentiu o chamado de colaborar com o Quebrada Sustentável, entre em contato pelo telefone (11) 2297-3871 ou pela fanpage do projeto (clique aqui). E mesmo você sendo de outra cidade, região, ou país, logo mais o NUA terá um espaço colaborativo destinado a receber voluntários interessados em atuar nos projetos desenvolvidos pelo instituto (em posts futuros falaremos mais sobre eles).

São iniciativas assim, de transformação e empoderamento das comunidades, que nos enchem o coração de esperança. Porque sim, a sociedade precisa de muitas mudanças, urgentes, inclusive, e muitas delas podemos nós mesmos começar em nosso próprio bairro. Afinal, como diria Raul Seixas…

Sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só. Mas sonho que se sonha junto é realidade.

Finalizo este feliz post com a frase de um outro educador incrível:

“Se a criança é capaz de se entregar por inteiro ao mundo ao seu redor em sua brincadeira, então em sua vida adulta será capaz de se dedicar com confiança e força a serviço do mundo”.

É isso. Grande Rudolf Steiner.

Mudas do viveiro: logo mais elas estarão dando mais cor e vida às ruas do Jardim Pantanal
Mudas do viveiro: logo mais elas estarão dando mais cor e vida às ruas do Jardim Pantanal

 

Anúncios
Marcado como: