Pó dental e enxaguante bucal: cosméticos naturais do Enga (parte II)

Durante o Enga (Encontro Nacional dos Grupos de Agroecologia), além de sabonetes naturais, pudemos contar com um pó dental e um enxaguante bucal, produzidos pelo YaYe – Cosmética Natural e Aromaterapia e pelo Grupo Timbó de Agroecologia. Isso porque os cremes dentais industrializados contém uma série de agentes químicos prejudiciais tanto ao nosso corpo, como ao meio ambiente.

Para se ter uma ideia, a maioria dessas pastas contêm flúor em sua composição, que, quando ingerido em altas doses, torna-se uma substância tóxica (saiba mais aqui e aqui). Devido aos seus efeitos em nosso organismo, existe, em vários países, um movimento para o fim da fluoretação da água. Além disso, segundo a Organização Mundial de Saúde, a saúde dental dos habitantes de países que não costumam adicionar flúor em seus sistemas de água aumentou de maneira igual a dos países com água fluoretada.

E os problemas do cremes dentais industrializadas vão além do flúor. Eles contêm corantes artificiais, flavorizantes (responsáveis pelo sabor e efeito refrescante), Lauril Sulfato de Sódio (responsável pela formação da espuma e extremamente prejudicial ao meio ambiente), parabenos (que podem contribuir para o desenvolvimento de tumores cancerígenos), entre outros ingredientes que devem ser evitados, como o triclosan (atualizando: confira esta reportagem do jornal O Globo, sobre uma notícia da Bloomberg News afirmando que o triclosan pode ser cancerígeno) .

Como escovar, então?

Antes de começar qualquer receita natural, é importante dizer que o que limpa de fato os dentes é o uso correto da escova e do fio dental. A função da pasta de dente ou do pó dental é somente proporcionar um hálito fresco e ajudar na eliminação do excesso de bactérias na boca (o que pode ser feito por um enxaguante bucal natural, por exemplo). E no caso do uso do pó dental, vale lembrar que, por conterem agentes abrasivos, como bicarbonato de sódio, argila branca ou  juá, o indicado é ter uma escovação leve, de modo que o pó não cause atrito com o esmalte dos dentes, desgastando-o. E por isso seu uso não deve ser rotineiro, como já ouvi muitos depoimentos.

O cravo e suas propriedades anti-septico e bactericida
O cravo e suas propriedades anti-sépticas e bactericidas

 

Durante a oficina com o Coletivo YaYe e o Grupo Timbó, no Enga, conversamos também sobre outras possibilidades, como escovar os dentes com a babosa, ou simplesmente colocando uma gota de própolis (que tem propriedade bactericida) na escova. Outra dica interessante compartilhada na oficina se refere a como clarear os dentes: basta esfregar nos dentes a parte branca da casca de laranja. Interessante!

Mas vamos às receitas. São várias as de pó dental, e aqui compartilhamos os ingredientes daquela presente na cartilha de cosméticos naturais do Enga:

  • Ingredientes: argila branca, cravo, gengibre em pó, hortelã em pó, tomilho seco, uma pitada de canela.
  • Modo de fazer:  basta misturar uma colher de chá de argila branca para uma colher de cada um dos outros ingredientes.  Triture tudo até ficar homogêneo e armazene em um pote fechado.

Recentemente, conversando com uma amiga, ela passou a receita que seu companheiro utiliza: em um copo de água, misture uma colher de bicarbonato de sódio, outra de sal groso, algumas folhas de menta e alguns cravos. Armazene o líquido em um vidro fechado e deixe curtir por alguns dias. Quando for escovar, agite o frasco e mergulhe a escova no líquido. Para ficar mais prático, vale fazer uma quantidade menor do líquido e guardá-lo naqueles vidros de amostras de geleia, que são pequenos e podem ser carregados para qualquer lugar. O que achei interessante nessa receita é que, por ser um líquido, e não um pó, diminuímos o atrito com os dentes.

Além de refrescante, a hortelã possui propriedades anti-séptica, analgésica e tranquilizante

Enxaguante bucal

Para ajudar a eliminar as bactérias, e de quebra ficar com um gosto refrescante na boca, nada melhor que completar a escovação com um enxaguante bucal natural. Eles são ótimos substitutos dos antissépticos industrializados que, por causa dos ingredientes químicos, podem provocar manchas, desgaste do esmalte dos dentes, alergia, além de outros problemas mais graves, como destruir a flora bacteriana natural da boca.

  • Ingredientes: malva, sálvia, hortelã, tanchagem, cravo e canela.
  • Modo de fazer: em um frasco escuro, dilua os ingredientes no álcool de cereais (ou em cachaça) e deixe curtir durante duas semanas. Em seguida, basta diluir essa mistura na água e começar a utilizar o enxaguante bucal.

Fazendo algumas pesquisas na internet também pude testar outros enxaguantes bem interessantes. A seguir, compartilho uma receita:

  • Ingredientes: um copo de água filtrada, óleos essenciais de cravo (analgésico e antisséptico), melaleuca (antisséptico, bactericida e fungicida natural) e hortelã (refrescante, analgésico e antisséptico).
  • Modo de fazer: misture a água com duas gotas de cada óleo essencial e armazene em um frasco escuro.

Com essas receitas naturais, além de nos tornarmos mais auto-suficientes, deixamos de incentivar indústrias que testam seus produtos em animais e/ou utilizam substâncias de origem animal. Além disso, não estaremos jogando no meio ambiente uma série de agentes químicos prejudiciais, nem embalagens descartáveis que levarão anos para se decomporem.

É pelo planeta e pela sua saúde!

Anúncios
Marcado como: