Yoga, uma filosofia

De nome, velha conhecida. Da primeira prática, mais ou menos um ano. Minha história com a Yoga começou assim: meditação, contato com a agricultura orgânica e permacultura, busca pelo conhecimento do corpo e do espírito, e então, YOGA!

Na verdade descobri que a Yoga não é uma simples atividade física, pois ela não pode ser olhada com a lógica antropocêntrica (fragmentada), mas sim, pela visão holística (do todo). Dessa forma, corpo, mente e espírito vão se harmonizando no decorrer das práticas. É a “união”, como diz um de seus muitos significados em sânscrito.

Por isso, este mês resolvi me lançar nesse (auto)conhecimento milenar que está associado com as práticas meditativas tanto do budismo, como do hinduísmo, e sinto que puxei a linha de grandes descobertas. Trabalhar o “momento presente” seria uma delas – algo que, para muitas pessoas, pode parecer simples ou banal num primeiro momento. Mas basta pararmos um minuto para perceber o quanto nossa mente está sempre pensando em situações do passado ou no que irá acontecer no futuro  (seja este futuro próximo ou longínquo). Com a Yoga, relaxamos a mente e buscamos pensar somente no momento presente. Como o ar que respiramos caminha pelo nosso corpo? Como nossos órgãos se comportam durante a respiração? Coisas – aparentemente simples, mas vitais –  que nosso organismo faz todos os dias e nós, com a correria do dia a dia, nem conseguimos perceber.

E como toda busca pela verdade, sabedoria e auto-conhecimento, não há apenas um caminho, muito menos zona de conforto. E sim, há dores a percorrer. Para iniciar a Yoga, temos que eleger uma modalidade, entre várias, e essa escolha é individual e deve se adaptar às possibilidades, expectativas e necessidades de cada um. Vejamos alguns tipos (retirados do site: www.yogavital.net):

Hatha Yoga – (ou Hata ioga) é uma forma de yoga pré-clássico, que cultiva o corpo. É o tipo de yoga mais popular e mais amplamente praticado no Ocidente. Concentra-se em aperfeiçoar o corpo físico para afetar a mente e a consciência. Yogi Bhajan descreve Hatha Yoga como “uma ciência onde a energia do sol e da lua é unida diretamente para elevar a kundalini”.

Kundalini Yoga – A disciplina de união do poder da consciência e do potencial em cada indivíduo. É um Raja Yoga. Outrora chamada a ciência do poder da serpente (kundalini-shakti), que é fundamental para a tradição tântrica incluindo Hatha Yoga. Na simbologia do Oriente, a serpente representa energia, essência, consciência, rejuvenescimento e o jogo do espírito.

Mantra Yoga – é uma disciplina da tradição do Yoga desde os tempos Védicos, utiliza sons que protegem e projetam a mente. Já a meta do Laya Yoga é fundir a consciência finita com a consciência Infinita. Com Laya e Mantra Yoga, a mente é expandida através do ritmo, respiração, som e mantra. Este é o método mais poderoso e direto de elevação sobre a dualidade da consciência do ego, através de um foco direcionado da mente, respiração e som, cuja potência é maximizada quando é praticada em grupos.

Gyan Yoga – ou Jnana Yoga, é a disciplina da sabedoria. Gyan significa sabedoria ou, mais especificamente, a sabedoria experimentada dentro de um ser. Gyan Yoga é o caminho do discernimento intelectual, conhecendo claramente sem que o subconsciente turve a clareza. É o caminho da realização intelectual e intuitiva do Divino, na qual a pessoa vê Deus em todas as coisas. O fluxo sempre corre em ambos os sentidos: Deus e eu, eu e Deus somos um; em cada um o outro é visto claramente.

Do mais, essa filosofia de mais de 5000 anos, dispensa definições e nos convida a um profundo relaxamento, concentração, clareza de pensamento e percepção interior.

Experimente.

Namastê!

Anúncios
Marcado como: