A força do troca-troca

A TROCA é uma iniciativa simples e que muito se assemelha ao nosso antigo modelo de mercado, o escambo. Ideia essa que podemos trazer para o nosso dia a dia: trocar produtos, serviços, informações, ajuda, qualquer coisa que quisermos e precisarmos. Podemos assim evitar a compra de um produto buscando a troca como uma alternativa para ter aquilo que é necessário. E digo, aquilo que é necessário, e não o acumulo desenfreado de coisas.

feira de troca

E ao praticarmos mais o “troca-troca”, reduzimos o consumo de novos objetos e, consequentemente, o impacto sobre o meio-ambiente. Uma outra visão das trocas com caráter mais psicológico (ou holístico) é que muitas pessoas já começaram a entender que a posse de objetos não leva a uma melhor qualidade de vida. Muito pelo contrário: quanto mais se deseja as coisas, mais é preciso trabalhar para consegui-las e mantê-las, o que acarreta perda de qualidade de vida e de um tempo valioso para atividades de lazer, por exemplo.

Troca de livros

As trocas mais comuns e fáceis de encontrar são as de livros. Existem eventos esporádicos que promovem essas trocas, como as feiras itinerantes de troca de livros, organizadas também pelo Sesc e Senac. Tem aquelas que acontecem em espaços públicos, como no Parque da Água Branca, em São Paulo, todos os domingos das 12:30 as 17 horas. Existem livrarias e sebos que propõem a troca de livros e ainda os sites especializados no assunto, como é o caso do Troca de livros.

Troca de tudo

Mas essa alternativa ao consumo desequilibrado não fica só na sua biblioteca. Já existem vários sites em que você pode trocar tudo, ou quase tudo. Veja abaixo alguns deles:

Mercado de Troca: site exclusivamente de troca através de um sistema de crédito
DescolaAi: site de troca, compra e venda de produtos usados e oferta de serviços
Toma la da ca: site de troca e venda de produtos usados
Trocas Online: site de troca através de um sistema de pontos
Dois Camelos: aplicativo para o Facebook que facilita a troca de produtos entre os usuários
Bondsy: aplicativo para iPhone, iPod e iPad que mescla o visual do Instagram com a funcionalidade de negociar objetos que você não utiliza mais

Feiras de trocas

Mas essa força do troca-troca não pára por aí. Existem ainda as feiras de trocas, onde as pessoas, além de praticarem esse “intercâmbio” de produtos, ainda se divertem pra valer. Ah? Você ainda não participou de nenhuma? Então, faça uma. Essas feiras são super fáceis de organizar, já que é algo que pode rolar no seu bairro, trabalho, condomínio, numa reunião de família ou num encontro com seus amigos.troca

O site Feira de trocas ensina tudo que você precisa saber pra fazer uma feira de troca de brinquedos. E ainda disponibiliza gratuitamente o kit de divulgação.

Comece!

Então por que você não organiza um troca-troca de produtos, serviços ou saberes que possam ser úteis à outras pessoas? É um intercâmbio sem dinheiro! O mais legal é que a cada encontro você vai reunindo um número maior de pessoas dispostas ao exercício de novos olhares sobre o consumo.

Em Madri, participamos de um grupo de amigos que organizava eventos de trocas num bar. Cada um levava o que tinha em casa e que não queria mais, e saía de lá com “novas” roupas, sapatos, livros, objetos de decoração, entre outras coisas. A diversão é garantida e contagia a todos que estão por perto. E não me venha com essa de que coisa usada não pega bem, que tem vergonha e tal. Vergonha é o lucro abusivo que as empresas têm com cada item que compramos, os impostos muito mal empregados pelos políticos, a exploração de trabalhadores e a destruição do meio-ambiente devido a esse consumo exacerbado que temos. Consumo consciente é ambientalmente sustentável, humano, justo e saudável!

E para quem quer se aprofundar no assunto do consumo colaborativo leia o livro: O que é meu é seu – como o consumo colaborativo vai mudar o nosso mundo, de Rachel Botsman e Roo Rogers.

Boas trocas!

Anúncios
Marcado como: